quinta-feira, 17 de abril de 2014

SÃO JOSÉ DO EGITO: ENTÃO "DEIXA SER"...

Click em cima
Coletivo "Deixa Ser" de jovens de São José do Egito, mostra que a cidade não vive só de pseudo-bandas, e suas péssimas apresentações, e dá um banho de cultura na terra que é o Berço Imortal da Poesia... — com Clécio Rimas, Didi Menezes, Caio Meneses e outras 22 pessoas.

Colaborou: Jorge Filó

Morre Gabriel García Márquez, um dos maiores escritores em língua espanhola

O escritor colombiano Gabriel García Márquez, ganhador do Nobel de Literatura em 1982, morreu nesta quinta-feira (17), aos 87 anos. A informação foi dada por uma pessoa próxima à família para a agência AP e divulgada também por jornais como "El País" e "El Tiempo".

Conhecido principalmente por "Cem Anos de Solidão", Gabo, como era seu apelido, foi um dos mais importantes escritores da América Latina e de toda a língua espanhola. Nenhum título em espanhol além da Bíblia vendeu mais do que os assinados por García Márquez.
Também famoso pelo trabalho como jornalista, o autor escrevia romances e contos marcados pela combinação de real e fantasia, misturando histórias folclóricas a descrições tão gráficas que pareciam reportagens.

Recentemente, o autor ficou oito dias hospitalizado no México, por causa de uma pneumonia. Recebeu alta em 8 de abril, mas na ocasião os médicos disseram que sua saúde era frágil. O escritor teve um câncer linfático nos anos 1990, e em 2012 seu irmão, Jaime, afirmou que ele sofria de "demência senil".

Nos últimos anos, o autor evitava aparições públicas. Mas no último aniversário, em 6 de março, apareceu em frente à sua casa na Cidade do México para receber amigos e fãs que levaram bolo e flores. O escritor foi fotografado, mas não se pronunciou.

Trajetória

Gabriel García Márquez nasceu em 1928 na pequena cidade de Aracataca, norte da Colômbia. Foi criado pelo avô materno, um coronel que lutou na guerra civil do começo do século, e pela avó, que costumava lhe contar histórias fantásticas. 

Frequentou um colégio jesuíta e estudou Direito da Universidade Nacional da Colômbia, quando começou a escrever para jornais e a frequentar círculos de escritores e jornalistas, inclusive um grupo conhecido como Barranquilla. Com os anos, passou a se dedicar cada vez mais ao jornalismo, trabalhando inclusive como crítico de cinema.

Nos anos 1950 foi enviado à Europa para ser correspondente internacional do diário colombiano "El Espectador". Desde então morou em vários lugares do mundo, como Roma, Paris, Barcelona, Nova York e Cidade do México, onde viveu nos últimos 30 anos.

Siga o iG Cultura no Twitter

Seu primeiro livro publicado foi "O Enterro do Diabo: A Revoada", em 1955. Pouco mais de dez anos depois, em 1967, alcançou o sucesso internacional com "Cem Anos de Solidão".

Símbolo de um período de forte ascensão de escritores latino-americanos, a obra vendeu 50 milhões de cópias em 25 idiomas.

Misturando fantasia e realidade, "Cem Anos de Solidão" conta a história de sete gerações da família Buendía, que vive no povoado fictício de Macondo, situado em algum lugar da costa colombiana entre os séculos 19 e 20. 

O escritor e jornalista norte-americano William Kennedy definiu "Cem Anos de Solidão" como "a primeira obra literária desde o Livro de Gênesis que deveria ser obrigatória para toda a raça humana".

Nobel da Literatura

O sucesso do livro foi fundamental para que García Márquez ganhasse o Nobel de Literatura em 1982. Ele foi o quarto escritor latino-americano a receber o prêmio, depois dos chilenos Gabriel Mistral (em 1945) e Pablo Neruda (em 1971) e do guatemalteco Miguel Ángel Asturias (em 1967).

A Real Academia Sueca de Ciências, que entrega o prêmio, justificou a escolha dizendo que nos romances e contos de García Márquez "o fantástico e o realismo são combinados em um rico mundo composto de imaginação, e que reflete a vida e os conflitos de um continente".

O escritor foi além do sucesso de um livro só, consolidando-se como um contador de histórias imaginativas e bem escritas como "O Outono do Patriarca" (1975) e "Crônica de Uma Morte Anunciada" (1981), além de contos publicados em coleções e revistas.

Cada novo trabalho - até o último, "Memórias de Minhas Putas Tristes" (2004) - era esperado com expectativa por críticos e leitores e traduzidos para vários idiomas. A morte era um de seus temas mais frequentes, bem como a força do destino e do inexplicável.

"Com suas histórias, García Márquez criou um mundo próprio, que é um microcosmo. É tumultuado e desconcertante, mas passa autenticidade e reflete o continente (América Latina), sua riqueza humana e sua pobreza", definiu a Real Academia.RD1

A Vez de Diomedes Mariano: "No cartório da minha mocidade registrei meu passado e fui embora”


“No cartório da minha mocidade
registrei meu passado e fui embora”

Fui rever o lugar que fui criado
Mais achei muita coisa diferente
A roseira plantada do batente
Com o sol do verão tinha murchado
O curral que papai guardava o gado
Parecendo um fantasma está agora
Cada braça da seca é uma escora
Suportando os pulsos da idade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

Não vi mais o cachorro amigo meu
Que latia guardando o meu terreiro
Senti falta do velho juazeiro
Com a nossa partida ele morreu
Uma frente da casa se rompeu
E uma linha da casa quase tora
Onde a gente morou hoje quem mora
É um monstro chamado de saudade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

Ainda vi um pedaço da cancela
Do curral que eu guardava a criação
O terreiro da frente e um oitão
Tão cobertos por ramos de favela
Minha réstia adentrou pela janela
O meu corpo sem ela ficou fora
Demorei pouco mais de meia hora
Não cheguei a chorar mais deu vontade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

Vi os punhos da rede na varanda
Um bisaco de lona remendado
Um troféu que eu ganhei puxando o gado
Quando ainda não tinha propaganda
Um chapéu amassado de uma banda
Umas botas manchada pela aflora
Um gibão, a perneira e uma espora
Que a ferrugem comeu mais da metade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

O que resta do ontem é só saudade
O presente mudou a minha imagem
Minhas pernas cansaram da viagem
Com a carga cessante da idade
Anteontem na praça da cidade
Eu tirei o retrato e joguei fora
Porque sinto na foto de agora
Diferença da minha identidade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

Diomedes Mariano

Poesias extraídas do festival de violeiros de Itapetim-PE.  - 2005

CANTIGAS E CANTOS

Prefeita Natália de Dr. Júnior faz entrega de ovos de páscoa

Nesta quarta-feira (16) pela manhã, a prefeita de Ouro Velho, Natália de Dr. Júnior, fez entrega de ovos de páscoa para dezenas de crianças da rede municipal de ensino. A prefeita aproveitou o momento para parabenizar o trabalho realizado pela equipe da Secretaria de Educação.

Segundo a prefeita, este momento não tem preço, fazer as crianças felizes significa muito para administração municipal. Ela destacou que estava muito emocionada em proporcionar uma Páscoa feliz a essas crianças.

Natália fez uma rápida reflexão sobre o ato dizendo que “Hoje o dia começou bem. Felicidade que não tem preço. Gestos simples que transforma a vida das pessoas. Parabéns a toda equipe de Educação, especialmente a Secretária de Educação Socorro Viana, as Diretoras, Gorete Marinho, Márcia Bernardo, Vera, professores e demais funcionários, muito obrigada pelo carinho e atenção!”, agradeceu emocionada.Cariri de Cá

Poesia: “No cartório da minha mocidade Registrei meu passado e fui embora”, por Severino Feitosa


“No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora”

Quando eu terminei a adolescência
Comecei a viver a juventude
Descobri que o mundo nos ilude
Porque falta maior experiência
Mais o mapa que faz a existência
É a mão de Jesus que elabora
O que fica lamenta, sofre e chora
E quem parte carrega  só saudade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

O registro que fiz naquele dia
Foi somente a vida da criança
Que o pai nunca recebeu herança
E o  avô muito pouco possuía
Com seis anos de vida eu já sabia
Como a mãe de família se apavora
De sarampo, bexiga e catapora
É difícil escapar com essa idade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

Eu queria ser mais um dos ciganos
Pra pegar nesse globo sem destino
Pra contar a história de um menino
De sufoco, miséria e desenganos
Quando eu completei dezoito anos
Minha barba bem rala estava fora
E como um índio criado pela flora
Nem se quer eu tinha uma identidade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

A história bonita que contei
É somente o trajeto de um poeta
Que não pode ser feliz e completa
Pelas coisas ruins que já passei
Tive um casamento e separei
Minha mãe hoje em dia não tem nora
E hoje eu sou um poeta da aurora
O boêmio trilhando na cidade
No cartório da minha mocidade
Registrei meu passado e fui embora

Severino Feitosa

Poesias extraídas do festival de violeiros de Itapetim-PE.  – 2005


CANTIGAS  E CANTOS

Motorista de São José do Egito morreu em acidente na PE 275 em Ingazeira

Geraldo Formiga de vermelho
O policiamento foi informado por populares que na PE – 275 Km 49, Sitio Riachão, Zona Rural, Ingazeira a vítima Geraldo Formiga Filho, 54 anos, casado, motorista, residente na Rua Prof. Edson Simões, nº 200, centro – São José do Egito, conduzia seu veículo DOBLÔ ELX 1.6 de placa HFX 5636 – PE, quando perdeu o controle da direção e capotou, vindo a óbito no local, e que no mesmo local um menor de 15 anos conduzia o veículo FIAT UNO de placa PFI 2740 – PE, quando viu o veículo 1 capotado, também perdeu o controle da direção e capotou. Havia dentro deste veículo 04 pessoas, sendo todos menores de 15 e 17 anos, todos sofreram escoriações pelos corpos, sendo que um deles fraturou o braço direito. Os envolvidos nos acidentes foram conduzidos ao hospital de Tuparetama – PE, sendo que o menor que conduzia o veículo posteriormente foi conduzido à DP local.Rádio Pajeú AM

SÃO JOSÉ DO EGITO: GRUPO DO EX PREFEITO EVANDRO TENDE A APOIAR MARINALDO ROSENDO

O ex prefeito de São Jose do Egito, Evandro Valadares, reuniu na noite de ontem 06/04 uma boa parte de seu grupo político, onde foi iniciado as conversações em torno de um nome que seria colocado a disposição para ser votado como candidato federal na Terra da Poesia pela frente popular.

Entre três nomes que já tinham sido sugeridos em conversas anteriores na presença do pré candidato Paulo Câmara, um surgiu com mais força e aglutinamento, que foi o ex prefeito de Timbaúba Marinaldo Rosendo, onde todos os que estavam na reunião não fizeram qualquer objeção de veto a seu nome.

O nome de Marinaldo vai ser levado por Evandro em um novo encontro com Câmara, que será em breve para que eles possam fechar o restante da chapa que esse grupo apoiará, já que existe algumas questões que precisam ser resolvidas como por exemplo, algumas amarrações políticas que já vinham sendo feitas por um grande número dos pressentes, tendo em vista que o grupo andava muito dispersado e também como se dará esse apoio.

Quanto ao deputado estadual, nesse caso vai se precisar de muito jogo de cintura, é que tem alguns deles que já estão apalavrados com nomes diferentes do que pareceu ser a vontade do ex-prefeito,que seria de marchar com um único nome com apoio de todo grupo no caso, Ângelo Ferreira. sendo  também essa uma outra questão que poderá envolver o candidato a governador para uma conversa definitiva.

Eduardo tem o maior Poder de crescimento

À moda dos institutos de pesquisa dos EUA, o Datafolha fez uma análise combinatória dos dados extraídos do seu último levantamento sobre as intenções de voto dos eleitores para presidente da República e chegou à conclusão de que o candidato com o maior potencial de crescimento é Eduardo Campos: 63%. Foi avaliado o grau de afinidade do eleitor com os candidatos, e com base nas respostas se chegou a 04 categorias: eleitores convictos (não admitem mais mudar o voto), eleitores volúveis (já escolheram um candidato mas admitem mudar de opinião), eleitores potenciais (não escolheram ainda o candidato mas admitem votar nele) e eleitores “causa perdida” (não votam no candidato de jeito nenhum). Pelo último Datafolha, o pré-candidato do PSB tem 7% de eleitores convictos, 3% de eleitores volúveis, 53% de eleitores potenciais e 27% de “causa perdida”. Só falta agora um discurso convincente e tempo de televisão.Inaldo Sampaio

BREJINHO: SECRETÁRIA ESCLARECE COBRANÇA DE MÃE DE ALUNO

BREJINHO: MÃE DE ALUNO COBRA CONSTRUÇÃO DE ESCOLA PROMETIDA

Venho a público, esclarecer algumas questões sobre a denúncia feita supostamente por uma mãe de aluno do sítio Mussambê Brejinho – PE onde a mesma cobra a construção de escola prometida para início de 2014, assim como aponta a precariedade da escola existente.

Em primeiro lugar é lamentável que nossos alunos não tenham o conforto merecido para estudar, porém os municípios de pequeno porte sofrem com a falta de recursos suficientes para construírem com recursos próprios suas unidades escolares. Dessa forma o Governo Federal entendeu que precisamos de ajuda financeira para construir as referidas escolas. Desde 2012 cadastramos e enviamos ao governo federal projetos de novas unidades escolares e fomos atendidos há pouco mais de um mês. A equipe de trabalho da prefeitura municipal de Brejinho – educação, licitação, engenharia, etc - trabalha no momento para agilizar o processo de construção não só da Escola Severino de Oliveira Leite como também de todas as escolas da zona rural, pois graças a competência administrativa do Prefeito José Vanderlei, fomos contemplados com obras orçadas em mais de três milhões e meio de reais para construção de escolas na zona rural, sendo que destes, R$ 240.000,00 serão destinados para a construção da escola do Sítio Mussambê. As referidas construções encontram-se em processo licitatório previsto para ter início dia 02 de maio.

A informação de que funcionam oito turmas na sala de aula existente na escola não procede. 
Porém a realidade educacional da zona rural de municípios pequenos é a de turmas multisseriadas – o que afirmo ser comum nos pequenos municípios _. Temos nessa escola duas turmas multisseriadas com vinte alunos aproximadamente cada uma, pela manhã estudam os alunos do Pré ao segundo ano e a tarde os de terceiro ao quinto e isso se dá porque na localidade não existe demanda de alunos suficiente para separarmos os alunos em turmas únicas e a própria comunidade não concorda em trazer as crianças para estudarem na área urbana.

Outra informação que não procede é a da suposta reunião e a promessa de entrega da escola para 2014, nunca divulgamos essa informação mesmo porque nosso projeto só foi aprovado pelo governo federal em 2014. Quanto ao terreno que está cheio de mato, se trata do ponto onde localizamos a escola que deverá ser construída sim, porém tiramos as fotos do referido terreno e mandamos para Brasília, o local foi aprovado e obviamente depois das recentes chuvas o mato volta a crescer sendo limpo novamente assim que a construção começar.

Quanto as cisternas, afirmo que estão desativadas obviamente, e assim que tomamos conhecimento do lixo no local tomamos as devidas providências para sanar o problema e continuaremos a fiscalizar. Informo ainda que este ano fizemos treinamentos com os auxiliares de serviços gerais e com a vigilância sanitária para orientá-los quanto ao destino adequado do lixo.

Agradeço imensamente ao administrador do Blog Pajeú da Gente pelo direito de resposta a sociedade. Digo que estamos sempre a disposição para maiores esclarecimentos e que acredito na mídia como meio de transformação da sociedade como também acredito no diálogo e na participação social para a mesma mudança. A mãe do aluno provavelmente deve fazer parte do conselho escolar, porém nunca foi levado ao nosso conhecimento suas insatisfações. Ainda esta semana visitaremos novamente a escola para mais uma vez procurar melhorar o ambiente escolar da localidade.

Atenciosamente,

Marta Cristina
Secretária de Educação
Brejinho - PE

Integração Nacional exclarece falhas na Adura do Pajeú

O Ministério da Integração Nacional e o Departamento Nacional de Obras Contras as Secas esclarecem:

A Adutora do Pajeú tem a função de transferir a água do Rio São Francisco às estações de tratamento de água das respectivas cidades a serem beneficiadas pelo empreendimento. A primeira etapa da adutora está concluída e em pleno funcionamento. Possui vazão suficiente para atender integralmente à população das cidades previstas, desde que as redes de distribuição e as estações de tratamento de água sejam devidamente adequadas, serviço este sob responsabilidade do órgão estadual. 

Cabe ressaltar que de acordo com levantamento realizado pelo DNOCS nesta quarta-feira, as cidades de Afogados da Ingazeira e de Serra Talhada, por exemplo, já recebem água em vazão superior ao projetado inicialmente.

Com 198 quilômetros de extensão, a primeira etapa da Adutora do Pajeú já beneficia mais de 177 mil habitantes de sete municípios pernambucanos: Afogados da Ingazeira, Calumbi, Carnaíba, Flores, Floresta, Serra Talhada e o distrito de Canaã, em Triunfo. Essa adutora já evitou o colapso do abastecimento em Serra Talhada, no início do ano 2013.Blog do Magno