segunda-feira, 16 de julho de 2012

De verso em verso! Por Mariana Teles

Meu relógio noturno é sem ponteiro
Meia noite começa o meu dilema
Nos rabiscos do resto de um poema
Vejo a face real do meu vaqueiro
De mil cenas de amor leio o roteiro
Sem poder reprisar a derradeira
E eu de tanto falar em roedeira
Criei calo na lingua e no ouvido
Tem um resto de amor não resolvido
Pertubando meu sono a noite inteira.

Dos romances que a tela divulgou
Foi Romeu a paixão de Julieta
Mas duvido dois doidos no planeta
Se amar como a gente se amou
Nossa história poética terminou
Por orgulho,capricho e por besteira
E você tenta negar,porém não queira
Esconder que seu peito está doído
Tem um resto de amor não resolvido
Pertubando meu sono a noite inteira.

Quando o sol rasga as cores da aurora
Me recolho na sombra da saudade
E no impulso da minha vaidade
Meu orgulho voraz só me devora
Um cochilo perdido de hora em hora
Reprisando a lembrança doedeira
E um retrato escondido na carteira
Mostra o rosto de um sonho proibido
Tem um resto de amor não resolvido
Pertubando meu sono a noite inteira.
Fonte: Na Cacimba da Poesia

About ""

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Vivamus suscipit, augue quis mattis gravida, est dolor elementum felis, sed vehicula metus quam a mi. Praesent dolor felis, consectetur nec convallis vitae.

Um comentário:

 
Copyright © 2013 Pajeúdagente
Design by FBTemplates | BTT