segunda-feira, 29 de julho de 2013

Parte política de Dominguinhos

Dominguinhos foi a primeira pessoa a chegar à UTI do Hospital de Arcoverde, onde Raul Henry era socorrido, ainda em 2002. O avião que transportava o peemedebista havia caído minutos após a decolar. Anestesiado, como um hematoma no olho e sem enxergar, Henry sentiu o cantor pegar em sua mão: “Sou eu, Raul, Dominguinhos!”. O deputado devolveu: “Está vendo?! Você é que está certo de não andar de avião!”. O compositor corria o Brasil todo de carro por receio de voar. Naquele dia, havia realizado show na Exposição de Animais de Arcoverde e chegava ao hotel, quando recebeu a notícia do acidente. Este ano, quando Dominguinhos foi internado, Raul tentou entrar na UTI, sem sucesso. No enterro do cantor, na semana passada, Guadalupe, ex-mulher do músico, interpelou o deputado: “Raul, eu soube que não deixaram você entrar na UTI. Mas foi porque Liv (a filha) entrou e ele teve uma parada cardíaca e todo mundo sabia que a ligação dele com você era grande”.
Entre goles 

Dominguinhos não bebia, mas costumava convidar Raul Henry para mesa de bar, mais especificamente para o Arriégua, na Cidade Universitária. Raul bebia alguma coisa enquanto o papo corria solto. Em 2002, Dominguinhos chegou a realizar uma apresentação, junto com outros artistas, no Clube Líbano, em prol da campanha de Henry. 


Dedicatória - Em um de deus discos, Dominguinhos dedica a música “Sala de Reboco” ao amigo Raul, com quem cantava em rodas informais. O músico também participou de campanhas de Jarbas Vasconcelos e de José Serra (Presidência da República), em 2002. Folha de PE


Nenhum comentário:

Postar um comentário